A pequena cozinha em Paris

IMG_0150

Com essa profusão de publicações, sites e canais de culinária que surgem todos os dias, eu quase não compro mais livros de receitas. Para que eu pense em comprar, é preciso que o produto tenha uma proposta muito original, além de ser lindo, com fotos incríveis e projeto gráfico impecável. (Sou chata e exigente, eu também acho.) Por tudo isso, há tempos eu desejava loucamente o livro A pequena cozinha em Paris da Rachel Khoo, que acabei de ganhar da Editora Intrínseca. Ele pontua alto em todos os meus itens de exigência.

A ideia é clara e simples: Rachel Khoo é inglesa, foi estudar na Cordon Bleu de Paris e escreveu um livro sobre o básico da culinária francesa da forma mais prática possível, sem complicações. Ponto.

Para cozinheiros sem pretensões, como eu, é o livro perfeito para entender as bases da comida do dia a dia em Paris. Quiche Lorraine, crème brûleé, gratins, galletes, oueufs en cocotte, está tudo lá, facilitado e explicado com um pouco da história de cada receita ou ingrediente. Perfeito. Mesmo no meu caso, que não cozinho nada com carnes, o livro vale a pena pelas receitas com legumes, ovos, queijos, além de ideias e inspirações para culinária vegetariana.

Não lembro como conheci a Rachel Khoo exatamente, acho que foi indicação da minha  Luciana, mas recordo perfeitamente do impacto que me causou o seu vídeo com a receita de quiche lorraine

Como fã da Nigella, eu era acostumada à sua cozinha enorme, cheia de milhões de utensílios, coleções de cortadores de biscoitos, pisca-pisca, batedeira Kitchen Aid, geladeira de duas portas e tudo no estilo fancy e superlativo que eu adoro na Nigella.

Mas eis que surge a linda e minimalista Rachel Khoo, cozinhando em uma micro cozinha, usando fogão de duas bocas e trabalhando a massa da quiche em uma bacia de ágata com as bordas levemente quebradas. Parecia uma estudante de intercâmbio, fazendo uma comida incrível com o básico de recursos.

O projeto gráfico é muito agradável, o papel é off set (que eu acho perfeito pra livros de culinária) e a produção das fotos é impecável, dos vestidinhos da Rachel aos utensílios da casa.

Espero ter tempo para testar as receitas em breve. Por enquanto, ele ganha cinco estrelinhas.

Bolo de chocolate sem farinha da Carolina Ferraz

bolosemfarinha1

Uma fatia de bolo com uma xícara de chá ou café ao lado faz minha alma sorrir. Porém, não tenho tempo nem paciência para receitas que exigem muitas manobras com a batedeira. Prefiro sempre aqueles bolinhos de uma batida só e por isso fiquei muito curiosa quando vi esse bolo de chocolate sem farinha do livro da Carolina Ferraz.
Ele funciona mesmo! É uma delícia e resulta em um brownie, doce na medida. A ausência da farinha não faz dele um bolo light – açúcar e manteiga reinam soberanos. Mas é uma boa opção para quem quer tirar o glúten da dieta.
Fiz para receber minha afilhada aqui em casa e todo mundo adorou. Peguei a receita no site do canal GNT.

Para a massa:

200 g de manteiga sem sal
5 ovos (colocar a clara e a gema)
6 colheres de sopa de açúcar
100 g de coco ralado
1 xícara de chá de chocolate em pó ou Nescau
1 colher de sopa de fermento

Para a calda
Meia lata de leite condensado
1 colhere de sopa de manteiga sem sal
Meia xícara de chá de chocolate em pó ou Nescau
Meia xícara de chá de leite

Chocolate em pó para polvilhar na forma

A única coisa que fiz foi derreter a manteiga e misturar tudo em uma tigela, com um garfo. A receita indica o uso de liquidificador, mas só misturei na mão mesmo. Não precisa bater, é só incorporar bem os ingredientes. Untei e polvilhei a forma, levei ao forno pré-aquecido por 25 minutos e tirei após o teste do palito.

A calda que fiz foi metade da receita original, suficiente para cobrir bem o bolo. Cortei em quadradinhos e servi como brownie. Eu nunca corto retinho, pretendo comprar em breve essa forma da Wilton.

No dia seguinte, geladinho, fica ainda melhor.

Bolinhos do mar

Imagem

 

Essa receita é exatamente a do bolinho de bacalhau português, só que eu troco o bacalhau por palmito cortado em lascas e temperadinho com alga marinha. Eu fiz assado no forno e ficou gostoso, mas pra ficar parecido com o tradicional, o melhor é fritar.

 

Ingredientes: 

1kg de palmito

Duas folhas de alga para sushi

10 dentes de alho (amassados e frito com azeite de oliva)

Uma xícara de coentro picado (ou salsa)

Um ovo inteiro

50 ml de azeite de oliva de excelente qualidade

400g de batata cozida e amassada

Sal a gosto

Pimenta do reino (moída na hora) a gosto

 

Eu fiz assim:

A primeira etapa é a transformação do palmito. Desfie bem, cortando na diagonal. Depois tempere com seis a oito dentes de alho bem amassados e fritos com azeite de oliva, sal, pimenta do reino. O ideal é deixar o palmito temperado um tempo antes de usar. Refogue bem essa mistura, em panela anti aderente, até deixá-lo sequinho.

Depois acrescente o ovo, os 50ml de azeite, o coentro, o sal, a pimenta do reino e a batata amassada. Trabalhe bem a mistura com as mãos e faça os bolinhos no formato que você quiser.

Frite em azeite de oliva ou asse em forno bem quente, com assadeira untada e antiaderente, de preferência.

 

 

 

Aspargos no barquinho

Imagem

 

É difícil encontrar aspargos frescos em Fortaleza. Sempre que eu acho, eu compro e preparo da minha maneira preferida: no barquinho. Isso nem é uma receita, é mais um arranjo:

Ingredientes: 

Um maço de aspargos frescos

Cebolinha pequena (ou cebola em pedaços)

Tiras de batata

Cubos de tomate

Shoyu

Azeite de oliva

Gergelim

Pimenta do reino ralada na hora

Ervas e temperos a gosto (eu usei orégano )

 

Eu fiz assim:

Peguei um pedaço de papel alumínio e arrumei como um barquinho. Untei com azeite, arrumei os aspargos e os legumes e temperei com shoyu, pimenta, gergelim, ervas e mais azeite por cima. Em 15 minutos de forno alto já está pronto. Levíssimo para o jantar.

Imagem

Hambúrger de grão de bico

Demorei a postar essa receita porque sempre achei que esse hambúrger não é muito fotogênico – mesmo sendo um dos maiores hits da minha cozinha. Todo mundo adora e foi depois do pedido entusiasmado de uma amiga (oi, Clara!) que decidi postar logo essa delícia.

O hambúrger de grão de bico é uma versão ampliada do falafel e com uma moldagem e preparo um pouco diferente. O legal dessa receita é que você pode fazer um montão, congelar e preparar bem rápido quando necessário.

Ingredientes:

Duas xícaras de grão de bico seco
1/4 de xícara de azeite de oliva dos bons
Uma abobrinha média ralada
Uma cenoura grande ralada
6 a 8 dentes de alho amassados
Uma cebola pequena picada (usei a roxa)
Um punhado de coentro ou salsa, a gosto
Um punhado de cebolinha picada, a gosto
Sal
Pimenta do reino e noz moscada ralados na hora, a gosto

Eu fiz assim:

– Antes de tudo, lave bem o grão de bico e deixe de molho por umas 10 horas. Troque a água durante o processo.

– O segundo passo é escorrer essa água, dar mais uma lavada nos grãos, colocar no processador junto com todos os ingredientes de uma vez e apertar o botão. Só isso.

– Deixe processar até virar uma massa. Gosto de tirar do processador, passar para uma bacia para ajustar os temperos.

– Trabalhe a massa fazendo bolinhas, depois amasse em forma de hambúrger (eu uso um aro próprio para isso, mas dá pra fazer com as mãos).

– Asse na frigideira bem quente com pouco azeite de oliva, apertando bem com as costas da colher. Veja bem, não é fritar, é quase grelhar.

– Acrescente outras ervas e temperos que você quiser, troque as verduras, o sabor fica de acordo com o seu gosto. Esse aí é meu combo preferido, mas às vezes acrescento orégano.

Bolo dourado de Natal (sem glúten, sem lactose, sem açúcar)

Tags

Quando minha amiga Chris me falou dessa receita, fiquei curiosa. Confesso que antes de fazer e comer esse bolo, eu duvidei de que fosse dar certo. Se você está duvidando também, eu entendo, amiga(o). Como é que pode uma combinação tão simples resultar em uma delícia com tanto sabor de Natal? E assim, saudável, fácil e rápido de fazer, bonito? É ótimo para dar de presente no Natal, ou ter como opção na ceia para quem está de dieta ou não pode comer glúten/lactose. Ele não tem adição de açúcar, mas fica bem doce por causa das frutas. Parece um panetone, só que melhor que os industrializados. Ok, é feio elogiar a própria comida, vou parar.

Ingredientes:

Quatro xícaras de frutas secas (usei damasco e passas, mais ou menos 500g)

Uma xícara de suco de laranja

Uma xícara de farinha sem glúten (usei a mistura da Schär, mas pode usar farinha de trigo)

Uma colher de sopa de extrato de baunilha (opcional, sou viciada)

Uma colher de sopa de chia hidratadas em cinco colheres de sopa de água. (opcional)

Uma colher de sopa de fermento em pó

Eu fiz assim:

Hidratei as frutas secas no suco de laranja e baunilha, por meia hora. Hidratei também a chia, pelo mesmo tempo.  Depois misturei as frutas, a chia, a farinha e o fermento, depositei em forma forrada com papel manteiga, arrumei, alisei e levei ao forno médio por 30 minutos. Só isso? Só. Eu juro.

Da próxima vez vou tentar fazer direto na forma, sem papel,  untada de algum óleo leve, como canola. Acho que vai ficar mais bonito ao desenformar.

Claro, pode trocar as frutas, fazer um mix. Já estou com ideias de variações para testar. ImagemImagem

Lemon Pepper

Tags

, ,

Imagem

Lemon Pepper é um dos temperos que mais adoro. Basicamente, é pimenta do reino com casca de limão, uma combinação simples cujo efeito é fantástico em qualquer comida. Já vi receitas de versões caseiras, mas ainda não testei nenhuma. Sempre, sempre tenho em casa e agora estou feliz da vida porque descobri essa versão da marca Smart, da África do Sul. É feito com sal, pimenta do reino, alho, cebola, raspas de lima, óleo vegetal e óleo de lima, uma mistura mais sofisticada. Vem em um lindo vidro com moedor que funciona bem e aguenta o tranco de quem usa todo dia, como eu. Esse tem sido o tempero básico das minhas saladas, com um bocadinho de vinagre, solamente. E não é difícil de encontrar, tem até nas Lojas Americanas.  : ) 

Saladinha de quinoa de todos os dias

Tags

, ,

Imagem

Desde agosto eu almoço salada todo dia, prato único. É a pedida ideal para quem está muito ocupada com mil coisas ao mesmo tempo e tentando emagrecer. Raras vezes na vida eu fiz uma salada seguindo receita. Pesco ideias aqui e ali, faço testes e as coisas vão acontecendo.

De todas as tentativas, essa saladinha de quinoa é a minha preferida. Ela junta os sabores e texturas que mais me agradam em uma salada, a quinoa me satisfaz plenamente e saio da mesa feliz.

Ingredientes: 

Meia xícara de mix de quinoa seca  (vermelha, preta e branca)

Duas colheres de sopa de passas

Duas colheres de sopa de cebolinha picada

Um tomate picado (ou uns seis tomatinhos cereja)

Meio pepino japonês picado

Sal a gosto (eu uso Flor do Sal)

Pimenta do reino branca a gosto (meu gosto é tipo MUITO)

Ervas a gosto (uso lemon pepper ou ervas de provence)

Eu fiz assim: 

O único pulo do gato dessa receita foi o que aprendi com uma linda cozinheira boliviana, a Marta: não colocar sal quando cozinhar a quinoa.  No mais, é tudo normal. Cozinha os grãos com água, depois escorre e deixa esfriar/gelar um pouco.

Corta todos os ingredientes picadinhos, mistura, acrescenta o sal e ervas, mistura de novo. Só isso.

Bolo de banana, baunilha e cacau

Tags

, ,

Imagem

Parece um milagre, mas é verdade: esse bolo existe, é delicioso, saudável e fácil de fazer. Já testei essa receita muitas vezes desde que a conheci, com várias modificações. Só não postei antes porque precisava da forma perfeita – eu não tinha nenhuma forma de bolo inglês, por incrível que pareça. Encontrei uma dupla linda da coleção especial da Tramontina, meio bege, meio dourada, uma beleza.

Fiz os primeiros testes com aveia, mas depois mudei para a mistura de farinhas sem glúten da Schär. Existem várias receitas de mix de farinhas, mas optei por usar essa já pronta, para começar minha transição nas receitas.

O resultado é um bolo leve e muito fofinho. Não é muito doce, portanto você pode acrescentar açúcar mascavo, mel, néctar de agave, se quiser.

Ingredientes:

Duas bananas muito, muito, muito maduras, quase pretas.

Uma colher de sobremesa de canela (ou mais, se você gostar)

Uma colher de sobremesa de cacau em pó

1/4 xícara de óleo (usei canola, o ideal é qualquer óleo leve e sem sabor)

Uma colher de sopa de extrato de baunilha

Dois ovos inteiros

Uma xícara de mix de farinhas sem glúten

1/2 xícara de uvas passas – preta ou dourada, tanto faz.

Uma a duas colheres de sopa de açúcar ou mel (opcional)

Eu fiz assim: 

Em uma tigela de louça ou vidro, bata bem os ovos com um fouet. Bater bem é deixá-los claros e sem cheiro forte. Se quiser usar a batedeira, fique à vontade, eu fiz com fouet mesmo. Depois acrescente as duas bananas amassadas, o óleo, baunilha, canela e vá misturando com uma colher. Em seguida adicione a farinha, as passas, o cacau, o mel ou açúcar (se for usar) e por último, o fermento. Dê mais uma misturada até que todos os ingredientes estejam incorporados, não precisa bater muito.

Unte a forma com óleo, distribua a massa e leve ao forno por cerca de vinte minutos, fazendo o teste do palito no meio para ver se sai sequinho.

É só isso? É, só isso mesmo.

Se for adepto, polvilhe açúcar e  canela por cima na hora de servir. É muito bom com café. : )

Uma dica: 

O site Sem glúten sem Lactose também vende produtos da marca Schär.

Kofta vegetariana – um bom churrasquinho veggie

Imagem

O que vegetariano come? Churrasco no espetinho!

Essa receita é fácil, o resultado é incrível, eu poderia comer isso todo dia. A inspiração são as koftas balls do Oriente Médio, mas na minha versão sem carne.

Ingredientes:

Uma xícara de grão de bico

Meio pimentão vermelho

Quatro colheres de sopa de shoyu

Quatro colheres de sopa de azeite de oliva

Quatro colheres de sopa bem cheias de chimichurri

(se não tiver, substitua por temperos desidratados de sua preferência)

Sal a gosto

Eu fiz assim:

Deixe o grão de bico de molho em bastante água da noite pro dia (8 horas, mais ou menos)

Escorra a água toda e passe o grão de bico no processador de alimentos com todos os outros ingredientes, até formar uma massa homogênea.

Deixe na geladeira por uma hora, no mínimo. A massa vai ficar mais fácil de moldar.

Faça bolinhas e asse bem em uma grelha de ferro, pincelada com azeite de oliva.

Espete nos palitos depois de pronto.

Para os espetinhos de legumes e verduras, eu usei só pimentão com abobrinha, temperei com chimichurri e shoyu e assei na grelha também.

Se quiser, coloque mais tempero: alho, cebolinha, cebola, coentro, salsa fresca, o que mais gostar.

Minha filha disse que foi uma das coisas mais gostosas que ela comeu na vida. : )