1013667_321704371294111_1623799900_n

Ontem eu notei que estava com duas caixas de amido de milho (a nossa maisena, cuja marca mais famosa é Maizena: ))  no meu armário e decidi procurar uma receitinha de biscoito sem glúten, levinho, para servir para minha filha e uma amiga.

Procurei em inglês (corn flour, cornstarch), vi biscoitinhos em português, mas nada  agradava. Mudei a busca para “bolos”+ “amido de milho” e encontrei um post com o seguinte título:

RECEITA DE BREVIDADES

Ora, mas isso é quase um título de poesia! Descobri que Brevidades são bolinhos populares em Minas Gerais. Há versão de tabuleiro, cortado em retângulos ou assados em forminhas individuais. Vi receitas mais simples, de liquidificador e outras elaboradas, com mais ingredientes.

O blog Senhora do Carmo (outro título lindo!) reproduziu uma receita de brevidades do livro “Doce arte da época imperial mineira”.

A incrível Neide Rigo escreveu sobre as brevidades nesse post e lamentou que esse bolinho brasileiro tenha saído de moda. E eu lamento por nunca ter ouvido falar nele.

Eu usei como base a receita do blog Na Cozinha , mas fiz algumas alterações – tirei a manteiga e acrescentei o extrato de baunilha.

O preparo é rápido e bem fácil. O resultado é um bolo leve, fofinho, com uma linda cor branca, perfeito para comer com café ou chá. Como ele resulta em uma massa bem firme e não muito doce, parece perfeito para rechear com geléia.

Algumas receitas indicam o uso de raspas de casca de laranja ou limão para acentuar o sabor. Da próxima vez certamente testarei com limão. Essa é uma boa receita-base, mas ainda quero arriscar algumas modificações.

O melhor de tudo é que encontrei uma boa receita de bolo sem glúten e sem lactose. Espero que seja útil para muita gente divulgar as Brevidades. Esse título me inspirou e talvez faça parte do romance novo que estou escrevendo.

Ingredientes: 

3 ovos

2 copos de amido de milho

1 copo quase cheio de açúcar

1 colher de sobremesa de fermento em pó

1 pitada de sal

1 colher de sopa de extrato de baunilha

Eu fiz assim:

Bati as claras em neve com a pitada de sal (dizem que a neve cresce mais rápido). Sem desligar a batedeira, acrescentei as gemas e segui batendo.

Desliguei a batedeira e aos poucos coloquei a maisena e o fermento, peneirados. Incorporei tudo com uma colher e voltei a bater, deixando a baunilha por último.

Levei ao forno médio e pré-aquecido em uma forma quadrada de 20 cm, untada e polvilhada com maisena, por cerca de 20 minutos.

Eu vou dizer logo a verdade: desenformei e comi o primeiro pedaço ainda quentinho. Uma delícia!

Anúncios