Tags

Imagem

Passeios demorados por lojas de coisas para casa e cozinha fez parte de toda e qualquer viagem que fiz na vida. Trago eletrodomésticos, pratos, temperos, utensílios sem qualquer problema. Em Mendoza, fui algumas vezes com minha querida Neda Blythman à loja Falabella e foi lá que vi essa linda iogurteira Moulinex, com copos de vidro, tampas com marcação de data de vencimento, uma beleza.  A Neda disse que era muito parecida com a que sua mãe e avó usavam antigamente e eu não pude resistir à tentação de fazer parte de uma tradição Blythman. Trouxe essa maravilha pra casa e batizei-a de Matilda.

Valeu a pena, temos usado muito e o resultado é cada vez melhor. Porém, preparar iogurte parece muito fácil, mas exige alguns cuidados. Usar a iogurteira é um deles. Cresci com minha tia fazendo iogurte sem máquina alguma, mas confesso que prefiro um bom eletrodoméstico facilitando minha vida. No caso, a iogurteira preserva a temperatura estável, deixa o leite bem vedado com a condição perfeita para fermentar.  Quando a Matilda chegou aqui, quem mais usou foi meu marido. Com muitos testes, acertos e erros, ele descobriu a receita ideal:

Ingredientes:

1 litro de leite (usei Ninho, de caixa, com baixa lactose)

Um envelope de fermento Bio Rich (que você pode comprar clicando aqui)

Eu fiz assim:

Fervi o leite, desliguei o fogo e esperei 50 minutos.

Misturei o fermento ao leite com um batedor.

Coloquei nos copinhos da Matilda (devidamente limpos com água fervida)

Marquei sete horas na iogurteira e fui dormir.

Só isso. O resultado é um iogurte bem encorpado e cremoso. Se quiser comer assim, deixe na geladeira por duas horas, no mínimo e já está pronto. Mas, se quiser fazer o iogurte grego, é o seguinte:

– Coloque o iogurte em uma peneira forrada com uma fralda (nova e limpa, claro) ou um coador de café acoplado em uma jarra alta ou outro recipiente fundo. Tampe com um prato e deixe na geladeira por quatro horas.  O soro vai descer e o resultado será o iogurte grego. Coloque em um recipiente e bata bem com um batedor de arame.  O sabor NÃO é igual ao industrializado brasileiro – que é cheio de açúcar.

Algumas dicas finais:

– Algumas receitas indicam 10 horas de fermentação, mas isso deixará o iogurte ácido demais e cheio de soro.

– Algumas receitas também indicam o uso do termômetro, mas eu garanto que não precisa.

– Dá pra fazer iogurte sem iogurteira, sim. No blog Testado, provado e aprovado você pode ver o passo a passo.

– Se fizer o grego, use o soro que sobra em receitas que pedem leite ou água. É pura proteína.

– Geléias, frutas, mel, grãos, baunilha, etc devem ser acrescentados depois do iogurte pronto.

– Vou testar o uso do fermento Bio Rich com leites vegetais e tentar obter um iogurte sem lactose.

– Ao invés do fermento, você pode usar duas colheres de sopa de iogurte natural integral.

– Pelo que pesquisei, não existe mais iogurteira a venda no Brasil. Você pode comprar por esse link da Amazon. São vários modelos na faixa de 40 a 60 dólares – vi até um utensílio especial para iogurte grego.

Anúncios